top of page
Buscar

Um ano de conquistas: que venham muitas mais!

Atualizado: 18 de fev.



Com todas as dificuldades ainda pendentes, devemos considerar o ano de 2023 como um período de reconstrução. Após passarmos seis anos de governos medíocres e contrários às necessidades dos trabalhadores, 2023 nos trouxe de volta a esperança, a possibilidade de diálogo e todos os demais ambientes positivos que somente a democracia participativa proporciona.

Os desafios ainda são enormes. O Brasil já demonstra um forte crescimento econômico, mas ainda é um dos países mais desiguais do mundo. Precisamos, urgentemente, lutarmos por uma distribuição de renda justa em nossa sociedade. Não é mais possível tanta concentração de riquezas nas mãos de poucos e tanta miséria para a grande maioria trabalhadora e produtora desta mesma riqueza.

Mas estamos avançando. Neste ano de 2023, o movimento sindical esteve presente e influindo em todas as instâncias de discussão governamental através dos Conselhos Federais. Não apenas nas questões relacionadas ao trabalho, mas em todas as formulações de políticas públicas que beneficiam a toda a sociedade.

Já no campo doméstico, obtivemos com a mobilização e organização de nossa categoria metalúrgica do Estado de São Paulo, após muitos anos, um significativo aumento real nos salários de 1,3%. Pode não parecer muito, mas isto é distribuição de renda, isto é aumentar de fato o poder de compra da categoria e fazer a roda da economia girar de forma virtuosa. Tudo isso sem abrirmos mão de nada em nossa Convenção Coletiva de Trabalho, que permanece sendo um grande avanço para os metalúrgicos em seus direitos que vão bem além da própria CLT.

Também avançamos em nossa luta de resgate e fortalecimento do próprio movimento sindical. Após muitos anos de ataques e desmontes feitos contra nós, através dos setores patronais e por uma elite política atrasada, conseguimos trazer à pauta jurídica e política o debate sobre o custeio das entidades sindicais. Não é pouca coisa e acreditamos que, mais cedo ou mais tarde, vamos encontrar consenso em relação a este tema da sobrevivência dos sindicatos sérios e representativos.

Em suma, como me referi no início deste texto, estamos de fato reconstruindo este país e, óbvio, não vamos nos furtar em continuarmos sendo parte positiva desta reconstrução. Vamos em frente como sempre. Que venha um 2024 e que possamos nos manter como protagonistas desta História. Permanente na busca de um país decente e justo para a maioria trabalhadora brasileira.

Um Feliz Natal e um Novo Ano de avanços e conquistas!

 

Eliseu Silva Costa

Presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo



bottom of page