FEDERAÇÃO DOS METALÚRGICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO 

Rua Pará, 66 - Higienópolis - São Paulo - SP - Tel.: 3217--5255

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube
logo z.jpg

Wagner Oliveira (Juca) - Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba e Região

A reforma da Previdência é nefasta aos trabalhadores!

A reforma da Previdência na medida em que foi imposta, é nefasta aos trabalhadores, com homens só podendo requerer a aposentadoria a partir dos 65 anos, e as mulheres a partir dos 62 anos.

O trabalhador terá que contribuir por muitos mais anos. É uma reforma que não gera emprego, que o país tanto precisa, como também não aponta para a recuperação econômica. Atinge a todos, tantos os trabalhadores que estão na ativa, como os aposentados.

A reforma da Previdência dentre tantas alterações, modifica também o cálculo do valor das aposentadorias que será de 60% da média salarial, mais 2% por ano de contribuição que ultrapasse 20 anos no caso dos homens, e 15 anos no caso das mulheres.

As cidadãs e os cidadãos brasileiros, precisam ter consciência na hora do voto, na escolha de seus representantes, pois a reforma da previdência foi aprovada em 1º turno com 379 votos a favor, e 131 contra, e todos estes deputados que votaram nesta reforma, que prejudica o trabalhador, foram eleitos pelo povo.

Tudo o que está sendo implantado é para retirar direitos dos trabalhadores, por isto, o movimento sindical irá pressionar a votação do segundo turno contra esta reforma e o Senado Federal, como também seguirá cobrando do governo, uma política de geração de emprego, uma reforma tributária, ações para abrir a economia para o setor externo e aumentar a competitividade da indústria, pois a reforma da Previdência não garante a retomada do desenvolvimento.

O que realmente garante a retomada do emprego é o investimento, que infelizmente não vem acontecendo.

E é, preciso também ficarmos muitos atentos, pois já está em andamento a chamada minirreforma trabalhista (MP 881/2019), que traz 36 mudanças em artigos da CLT, o que significa mais direitos dos trabalhadores ameaçados, como aconteceu na reforma trabalhista.

O que mais falta acontecer neste país?

O governo do presidente Jair Bolsonaro, quer reduzir em 90%, as normas de segurança e saúde do trabalho no país, as chamadas NRs. Segundo o presidente, o objetivo seria simplificar as regras e melhorar a produtividade.

Mas como podemos aceitar uma alteração como esta, em um país que ocupa, a 4º posição no ranking de acidentes de trabalho.

Segundo dados do Observatório Digital, de 2012 a 2018, foram registrados 4.503.631 acidentes de trabalho. O país contabiliza uma morte por acidente em serviço, a cada 3h40. Em Piracicaba, foram 5170 acidentes de trabalho em 2018. 14 acidentes por dia. 60 mortes por acidentes de trabalho, nos últimos 5 anos.

São estatísticas que só confirmam a falta de investimentos, conscientização e recursos, em uma questão que deveria ser primordial. As NRs preveem uma série de proteções e regulamentações aos trabalhadores, e têm como objetivo, garantir direitos aos funcionários em casos de acidentes de trabalho.

Com a alteração das NRs, os trabalhadores estarão sujeitos a sofrer mais acidentes, e ficarão cada vez mais a mercê dos patrões, devido a isenção dos custos de normalização e segurança do trabalho, que poderão ocorrer.

O Brasil, está virando um país de retrocessos. Já extinguiram o Ministério do Trabalho; o número de agentes fiscalizadores é cada vez menor; aprovaram uma reforma Trabalhista que retirou diretos dos trabalhadores; o desemprego só aumenta; cortes de recursos na educação; agora o governo quer aprovar uma reforma da Previdência Social, elaborada estrategicamente para prejudicar os trabalhadores e acabar com aposentadoria. O que mais falta acontecer neste país?

Os trabalhadores não podem pagar esta conta. Precisamos lutar contra estes ataques. E é neste sentido, que a diretoria do Sindicato, segue realizando assembleias nas portas das empresas, como forma de orientar e conscientizar os trabalhadores, sobre o atual momento do país.

Trabalhador! Participem das assembleias, protestos e manifestações. Somente a união será capaz de reverter toda esta situação.

Faça Valer os seus direitos !

Reforma da Previdência e os jovens trabalhadores

A reforma da Previdência poderá causar sérios impactos na vida do trabalhador, por isto o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região, entende que qualquer mudança na Previdência, deve ser amplamente discutida com a sociedade e com os representantes dos trabalhadores de forma democrática e transparente.

Em meio a tantos pontos polêmicos da reforma Previdência, um dos que merecem atenção, é o que prevê a inclusão de uma nova opção de regime trabalhista, para os jovens que ingressam no mercado de trabalho.

Segundo o texto, a juventude poderá escolher entre um vínculo empregatício baseado na carteira de trabalho tradicional (azul), que garante todos os direitos trabalhistas, ou optar pela carteira de trabalho verde e amarela, e com isto perder uma série de direitos. Os novos trabalhadores só não poderiam perder os direitos constitucionais.

O jovem já enfrenta sérias dificuldades para ingressar no mercado de trabalho, como inexperiência, falta de oportunidade, baixa qualificação, sem contar a concorrência, devido à alta taxa de desemprego, agora também terá que contar com a perda de direitos?

Um tema tão complexo e abrangente como a reforma da Previdência precisa ser mais debatido, pois uma reforma deve ter como o objetivo, garantir dignidade aos trabalhadores e não contribuir para a precarização do trabalho e diminuição de direitos, sendo que, uma reforma também deve servir para todos, e não somente para uma parte da sociedade.