Buscar

São Caetano: Assembleia aprova Estado de Greve na GM






Em assembleia realizada hoje, 29/9/, pela manhã, no portão 4 da empresa General Motors de São Caetano do Sul, os trabalhadores rejeitaram por unanimidade a contraproposta feita pela empresa referente à negociação de pauta de reivindicações apresentada pelo sindicato. Em termos de reajuste salarial a empresa apresentou como contraproposta a reposição integral da inflação a ser aplicada aos salários em 1º de fevereiro/2022, mais 50% do INPC do período, com aplicação em fevereiro de 2023, vale-alimentação de R$ 350,00 a empregados com salários até R$ 4.429,00, e a sua implementação em fevereiro de 2022, e abono de R$ 1 mil a ser pago em outubro de 2021. A rejeição à contraproposta já era prevista. Ainda que se reconheça a existência de dificuldades devido a pandemia os trabalhadores necessitam ter o seu salário reajustado em conformidade com a inflação acumulada, hoje em 10,42%, mais aumento real, uma vez que o seu poder de compra vem sendo corroído pela alta do custo de vida resultante da inflação galopante. A empresa não teve a menor sensibilidade em relação ao drama dos trabalhadores que nos últimos anos têm feito um enorme sacrifício, abrindo mão de conquistas importantes e que agora busca o que entende ser seu de direito. Em termos econômicos os trabalhadores da GM São Caetano do Sul reivindicam os seguintes itens: reposição salarial com base no INPC acumulado nos últimos 12 meses; aumento real de 5%; Piso Salarial com correção pelo INPC de 2016 a 2021; vale-alimentação no valor de R$ 1 mil para os trabalhadores inseridos na grade nova e de R$ 500,00 para os demais; Participação nos Resultados (PR) no valor de R$ 18.000,00 com antecipação de R$ 10.000,00; adiantamento da metade do 13º Salário/2022 para fevereiro de 2022. Inclusão de cláusula sobre home office; pagamento de quinquênio de 5%; retorno do reajuste da grade salarial a cada 6 meses e cesta de Natal. Além disso, reivindicam a manutenção das cláusulas sociais que constam no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente, particularmente a Clausula 42, que assegura garantia de emprego ao trabalhador, portador de doenças ocupacionais, e data-base em setembro. Ressalte-se que a greve na GM foi decretada após 7 longas rodadas de negociação entre o sindicato e a direção da empresa.

Forte abraço para todos os trabalhadores! Contem sempre comigo!


Aparecido Inácio da Silva - Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul