Buscar

Osasco: Preenchidas 85,5% das vagas da Lei de Cotas nas metalúrgicas

O índice de ocupação de vagas por pessoas com deficiência em empresas metalúrgicas na região de Osasco é de 85,5%. O dado é da 15ª Pesquisa Lei de Cotas – Trabalhadores com deficiência no setor metalúrgico de Osasco e Região, divulgada nesta quinta-feira, 25, pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região. O levantamento refere-se a dezembro de 2020 e tem o apoio da Gerência Regional do Trabalho de Osasco e do Projeto de Inclusão da Pessoa com Deficiência em São Paulo.


A Pesquisa também aponta que, no ano passado, 46,0% das empresas cumprem 100% ou mais das contratações previstas em Lei. Além disso, mostra que o setor que mais contrata trabalhadores com deficiência é o de autopeças e forjaria, com 105,1%.



O percentual de cumprimento total, porém, é inferior ao computado em 2019, quando 96,5% das vagas existentes nas empresas do setor estavam ocupadas. “Tivemos uma queda de 11% da contratação em comparação ao ano de 2019. Isso nos faz refletir sobre o papel que teremos daqui para frente. Reforça a importância da unidade para que a gente faça com que as empresas cumpram a Lei, cumpram seu papel social e contratem”, destacou o diretor do Sindicato Marcel Simões.


Pandemia


O levantamento mostra que as pessoas com deficiência foram as mais prejudicadas durante a pandemia. Entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020, houve redução de 1,7% dos empregos gerais e 12,3% dos empregos de trabalhadores com deficiência nas empresas que estavam com 100 (cem) ou mais funcionários nos dois momentos. Mas, nas empresas que preencheram integralmente as vagas, observou-se redução de 3,6% dos empregos gerais e 6,2% dos empregos de trabalhadores com deficiência. Já, naquelas que cumpriam parcialmente ou descumpriam totalmente as contratações previstas em lei, houve crescimento de 0,4% nos empregos gerais e queda de 24,2% nos empregos dos trabalhadores com deficiência.


Durante o lançamento, José Leite Batista, da Gerência Regional do Trabalho, em Osasco, José Carlos do Carmo (Kal), coordenador do Projeto de Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho da SRTb/SP, Luciana Xavier, coordenadora Nacional do Projeto de Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho da Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério da Economia, destacaram o papel da Pesquisa para fortalecer a luta pela inclusão e a importância de mais entidades sindicais e empresas se comprometerem com esta luta.


Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região/Auris Souza