Buscar

Jundiaí: Metalúrgicos na luta pela CCT e reposição da inflação


Em Assembleia Geral da Campanha de Negociação Coletiva realizada na manhã deste domingo (12), no Clube de Campo, os metalúrgicos de Jundiaí, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista aprovaram a proposta salarial que será negociada com os grupos patronais. O texto aprovado pelos companheiros prorroga todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) até 2023 e aplica a reposição da inflação – entre 8,5% e 10% – sobre o salário atual.

O presidente do Sindicato e da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo (FEDMETALSP), Eliseu Silva Costa, informou que a pauta será encaminhada aos sindicatos patronais até a próxima quinta-feira (16).

“Estamos enfrentando um dos períodos mais complexos da história, e os trabalhadores estão sendo os mais afetados. Vamos para mais uma campanha com certeza de que somente a luta e a mobilização da categoria pode assegurar as cláusulas sociais e econômicas da categoria”, disse Eliseu.

O vice-presidente do Sindicato, José Carlos Cardoso (Mineiro), ressaltou que os trabalhadores devem permanecer mobilizados em torno dos direitos conquistados.

“Todas as nossas conquistas do passado estão sob ameaça. Neste momento a resistência e a coletividade deve prevalecer, pois os setores patronais estão impondo as negociações individuais”, declarou Mineiro.

À mesa, os diretores sindicais, Wilson Ribeiro (Med), Luís Carlos de Oliveira (Lú), Rose Prado, Natanael Onofre Matias (Caé) e José Carlos Cardoso (Mineiro), fizeram breves análises sobre a conjuntura econômica e trabalhista e pediram que os companheiros mantenham-se atentos para as próximas mobilizações.


Fonte: Assessoria de Imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí