Buscar

Jundiaí: Metalúrgicos garantem CCT até 2023 e reposição integral da inflação


A mobilização dos metalúrgicos fez a diferença na Campanha Salarial de 2021. Em Assembleia Geral realizada na manhã deste domingo (31) no deck do Clube de Campo, os trabalhadores da categoria aprovaram a proposta que renova todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) até 2023, aplica abono salarial de 26% (13% até 30/11 + 13% até 20/12) e reposição integral da inflação a partir de janeiro com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do período.

Um ponto de grande relevância do texto é a homologação no Sindicato.

“É uma cláusula muito importante, afinal, a homologação no Sindicato evita que aconteça qualquer tipo de impasse que acabe lesando o trabalhador em um momento delicado. Nós analisamos as homologações, conferimos ponto por ponto e, se houver algo fora dos conformes, vamos solicitar a correção. Tudo pelo bem dos trabalhadores”, explicou o presidente do Sindicato, Eliseu Silva Costa.



A proposta aprovada, negociada pelo grupo patronal 3 (Sindpeças), vai servir de parâmetro para os demais grupos patronais na Campanha.

O vice-presidente do Sindicato, José Carlos Cardoso (Mineiro), destacou a intensa luta da entidade em busca de melhores condições econômicas aos trabalhadores.

“É importante ressaltar que as empresas que aplicam o aumento em novembro, não precisam aplicar o abono. Logo, o trabalhador não sai perdendo em nenhuma ocasião. Nas fábricas, o Sindicato vem buscando acertos de cargos e salários entre outras pautas”, disse Mineiro.


À mesa, os diretores sindicais, Wilson Ribeiro (Med), Luís Carlos de Oliveira (Lú), Natanael Onofre Matias (Caé) e Rose Prado, fizeram análises sobre a conjuntura metalúrgica na região e enfatizaram a importância da união da categoria.




Fonte: Assessoria de Imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí