Buscar

Federação: Metalúrgicos definem Campanha Salarial, debatem eleições e conjuntura


Com presença do ex-governador Geraldo Alckmin, candidato a vice-presidente da República na chapa com o presidente Lula, dirigentes metalúrgicos debateram a conjuntura econômica, social e política do Brasil e reforçaram a importância da pauta trabalhista e social, com a geração de emprego de qualidade, mais renda e mais direitos para a classe trabalhadora.

O encontro foi nesta terça, 30 de agosto de 2022, na sede da Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP, presidida por Eliseu Silva Costa, com presenças de dirigentes de 54 sindicatos filiados, representando em torno de 700 mil metalúrgicos no Estado, com data-base em 1º de novembro.

Alckmin declarou-se favorável a uma forte reindustrialização do País, pois a indústria é o setor que “gera empregos melhores”; ao crescimento com estabilidade, sem a inflação que é “injusta socialmente”; ao desenvolvimento do setor da construção civil; e à recuperação do SUS, para reduzir filas e agilizar o acesso da população ao atendimento de saúde pública.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, avaliou a realidade como muito ruim para a população e, em especial, para a classe trabalhadora e para o movimento sindical. “As agressões aos direitos não param”, diz Miguel Torres. Para ele é preciso uma mudança nos rumos políticos do País, com a eleição de um novo governo, que traga esperança e a retomada do desenvolvimento, com emprego e inclusão social. “Precisamos também ampliar as bancadas trabalhistas de deputados federais e estaduais”.

Jorge Carlos de Morais, o Arakém, secretário-geral do Sindicato, também esteve presente juntamente com outros diretores, diretoras e assistentes e, na ocasião, defendeu a Democracia, a luta unificada do movimento sindical contra os retrocessos e a importância das duas campanhas: a salarial da categoria metalúrgica e a eleitoral.

Os dirigentes metalúrgicos aprovaram fazer assembleias até 30 de setembro e entregar à Federação, até 14 de outubro, a aprovação da categoria à campanha salarial.