Buscar

Eleição no Sindicato de Marília

Nesta quarta-feira (12) e na quinta-feira (13) de janeiro, acontece a eleição para a nova diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de Marília e Região. Mesmo com chapa única, é fundamental que os companheiros e companheiras votem e assegurem a importância do Sindicato nas lutas em defesa dos interesses da categoria.

O voto fortalece a democracia sindical, garantindo a atuação da entidade frente aos embates com os patrões, proporcionando uma relação de respeito, onde os patrões são obrigados a reconhecer a força do Sindicato nas negociações e nas lutas travadas.

Além de dar respaldo ao Sindicato para levar adiante a nossa luta por melhores salários e condições de trabalho, votar é fazer crescer a participação do Sindicato nos debates sobre políticas públicas de fortalecimento econômico e social.

O voto fortalece a organização sindical nos locais de trabalho, melhora a qualidade da representação e possibilita respostas imediatas às questões envolvendo os companheiros e companheiras nos locais de trabalho.

A Chapa Única é encabeçada pelo companheiro Irton Siqueira Torres, atual presidente do nosso Sindicato, é formada por 13 companheiros com larga experiência sindical, o que lhes dá plenas condições de exercer um mandato transparente, de respeito à história do Sindicato e mobilizados em prol da categoria.

A base territorial do Sindicato conta com aproximadamente cinco mil trabalhadores metalúrgicos, englobando os municípios de Marília, Garça, Pompéia, Oriente e Vera Cruz. Desse total 1059 são associados ativos e 869 tem direito a voto. Ao todo serão sete urnas que vão percorrer as empresas na quarta e quinta-feira.

A coordenação do pleito eleitoral é da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, sob a responsabilidade do diretor da Federação Edson Venâncio.

Para o atual presidente e candidato a reeleição Irton Siqueira Torres, a meta da próxima diretoria é dar sequencia e melhorar ainda mais o trabalho que hoje já é feito. Outro ponto que considera importante é rever pontos da reforma trabalhista, que foi sancionada no atual governo, mas que não trouxe benefícios para a classe trabalhadora, finalizou Irton Siqueira Torres.

Por Chico dos Santos, assessor de imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de Marília.