top of page
Buscar

Descarbonização: Seminários terão continuidade nas regiões Centro Oeste e Sudeste

No último dia 15 de maio, ocorreu no Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, o Seminário Regional sobre Descarbonização na Indústria Automotiva brasileira. O tema é de extrema importância pois debate as questões relacionadas ao avanço dos veículos automotores elétricos ou híbridos, seus efeitos no meio ambiente e na cadeia de produção de autopeças no país, particularmente no que se refere a supressão de postos de trabalho.


"É um tema que o movimento sindical precisa se envolver em todos os sentidos. A indústria automotiva tem passado por transformações tecnológicas imensas nos últimos anos e isso vem afetando milhares e milhares de empregos no setor. O avanço de veículos híbridos e que não utilizam combustíveis fósseis será a realidade em um futuro muito próximo e precisamos estar preparados para garantirmos postos de trabalho em todo este processo de modernização na cadeia produtiva do setor", declarou Miguel Torres, Presidente da Força Sindical e da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM), promotoras do seminário.


Em reunião virtual realizada esta semana (23), os organzadores do evento realizado no Paraná debateram seus resultados e já indicaram datas para a realização de novos eventos na região Centro Oeste (Anápolis) e CentroOeste do país, a se relizarem em Julho e Setembro consecutivamente.




Veja abaixo os temas e resumo do Seminário realizado em Curitiba no dia 15 de maio


Seminário Descarbonização do

Setor Automotivo no Paraná


Curitiba-PR


11/05/2023


Sindipeças - Gábor Deák


Exemplo da neutralidade nas emissões, vantagens comparativas do Brasil (etanol)


Agenda de Desenvolvimento Sustentável - ONU


Programas Associados Renovação de frota, Rota 2030


Consumo de energia no Brasil em 2020 por segmento (aumento bicombustíveis)


Tecnologias de propulsão que devem ser discutidas no ciclo de vida do produto,

medir as emissões ao longo da cadeia, obtenção de matéria prima até a

reciclagem


Mais que meio ambiente, agregando saúde, mobilidade, segurança energética,

atração de investimento, protagonismo ambiental, geração de empregos.


Estratégias privadas x públicas, com relação ao híbrido etanol e outras rotas


Ciclos de evolução 2035 eletrificação e após hidrogênio


Todas as rotas tecnológicas são importantes, mas cada uma no seu tempo


Renault - Mateus Fonseca


Rotas possíveis descarbonização (não existe só uma caminho)


Estágios de descarbonização (são diferentes países e regiões),


Unidades de negócios: Power - busca compreender os cenários para América Latina,

Ampare (Asia); Alpine; Mobilize


Na AL o objetivo é de reduzir e não substituir...


No grupo a meta é carbono zero em 2050, na Europa 2040


Na AL a transição será mais lenta


Barreiras de entrada dos carros elétricos: preço; infraestrutura de carregamento e

autonomia


A Evolução dos veículos depende dos fornecedores, em 2030 os veículos terão 50% dos

equipamentos eletrônicos, a maioria é importada, necessidade de aumentar a

produção interna e na AL;


Período incerto com diversas soluções, depende de vários: pessoas; rede de parceiros;

competitividade e na possibilidade de se criar soluções próprias na região (AL).


Volkswagen - Henrique Araújo


P&D Alemanha e Brasil – únicos centros de pesquisas da VW


População continua demandando mobilidade, mas não tem acesso (preços...)


VW foi o primeiro grupo do setor a assinar o acordo de Paris – até 2040 vai ser carbono zero;


Do ponto de vista de descarbonização, o Brasil está à frente de outros países;


Rota tecnológicas para VW devem ser múltiplas e conciliar as expertises –


Aposta da VW como Plataforma de desenvolvimento e produção.


DKI – índice de descarbonização leva em conta toda a cadeia de fornecimento, uso do veículo,

consumo/uso, destinação do veículo (programa de reciclagem e renovação de frota)


Fabricação de carros elétricos demanda a importação de mais componentes


Etanol x Comida ( potencializa a utilização do etanol para produção de energia, exemplo resíduos)


Políticas públicas integradas: Renovabio, Proconve e Rota 2030, relativiza a utilização na legislação

de indicadores de outros países ( metas rigorosas ) versus estágio produção/mercado no Brasil


Programa combustível do futuro - Produção de energia ciclo todo: “poço à roda”


O grande desafio é conseguir fazer a harmonização da nossa legislação “olhar a floresta e não a

arvore”


Painel III Rafael Guerreiro – Ruben Gonzales Pablos

Comissões obreiras da Espanha (Renault)


6 modelos carros da Renault até 2023 serão elétrico 1 milhão ano


Padronização formação profissional – formação para trabalhadores que

atuam na produção de veículos elétricos


Privada e pública - Debate sobre a descarbonização e empregos são tratados

na União europeia;


Valorizar a sustentabilidade sendo inclusiva, colocando os trabalhadores no

centro ( geração de empregos e boas relações de trabalho)


Ideia de economia circular reciclar 90%-95%;


Responsabilidade da reciclagem é do produtor, não importa qual o país que

foi produzido ou vendido, necessidade de investimento consideráveis

(público e privados)

Kommentare


bottom of page